Teses de Livre Docência


Tese de livre docência: Um estudo sobre “Versos para os pequeninos”, manuscrito de João Köpke

Autor: Norma Sandra de Almeida Ferreira
Nesta pesquisa apresentamos e descrevemos Versos para os pequeninos, manuscrito inédito, escrito de próprio punho por João Köpke (1852-1926) e que faz parte do acervo pessoal da família Köpke. Percorremos dois tipos de interesse investigativo na tentativa de produzir sentidos para esse material. Um primeiro, que é tomar Versos para os pequeninos como um objeto manuscrito, considerando que nele há várias tensões que se colocam em movimento. A sua materialidade: o formato, tamanho da letra, a cor e o tipo de tinta utilizados, a disposição do texto verbal e visual no espaço em branco da página, o tipo e tamanho do papel, suporte do texto, instrumento de escrita, entre outros. O manuscrito, uma vez publicado, dá visibilidade a traços que posteriormente se apagam. Um segundo interesse se centra nesse material como um objeto cultural, mais especificamente em seus modos de produção, recepção e circulação, previstos e pressupostos a partir de alguns indícios possíveis de serem interpretados. Tentamos situar Versos para os pequeninos no contexto da produção para crianças no período em que ele se encontra circunscrito e no contexto das próprias obras publicadas por João Köpke. Como esse manuscrito se aproxima ou se distancia de outras obras que fazem parte da cultura “literária” proposta para crianças e em circulação naquele período? Como esse manuscrito se aproxima ou se distingue quanto a sua configuração composicional, aos leitores, finalidades e práticas previstas para ele em relação aos livros impressos e destinados às crianças e conhecidos pelos estudos trazidos pela história da educação e da literatura? Que manuscrito é este, pensado dentro de um projeto pedagógico e cultural de seu autor e no conjunto de outros projetos pedagógicos e culturais de seus leitores? Destacamos a singularidade dessa obra manuscrita como bastante distinta da produção impressa de João Köpke, produzida para atender à demanda do mercado editorial (nicho escolar), distinta em relação aos interesses e necessidades daquele mercado e da posição que ocupava esse autor naquele momento no cenário intelectual e educacional, no final do século XIX e início de XX. Concluímos que esse manuscrito constitui-se em um gênero discursivo pouco explorado na história da leitura e dos livros. Esta pesquisa se articula no interior de nosso projeto intitulado “Estudos sobre a produção cultural voltada para jovens leitores, entre livros de literatura e livros escolares”, no conjunto de outras investigações também realizadas no interior do grupo de pesquisa “Alfabetização, Leitura e Escrita – ALLE”, da Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas.

Arquivo para download: PDF icon texto_completo_pesquisa_27.01.pdf