Livros

• Versos para os pequeninos, de João Köpke: uma edição fac-similar em estudo (impresso)

Norma Sandra de Almeida Ferreira
Campinas - SP, Leitura Crítica, 2019, 2019
Resumo: • Versos para os pequeninos se apresenta aos leitores no suporte previsto provavelmente por João Köpke: em papel, impresso em livro, sem perder no entanto o seu charme de “original”, aquilo que poderia acontecer na passagem para o trabalho editorial e tipográfico tradicionais. Sugere os modos “como algumas obras se amarram nos objetos ou nas práticas de cultura do seu tempo” (CHARTIER, 2007, p. 16). Aciona outros gestos: o segurar nas mãos ou pousá-lo sobre uma mesa; no manuseio das folhas, o parar ou o voltar na leitura de um determinado poema; o fazer algumas anotações nos espaços em branco das páginas entre os traços impressos; ler do primeiro ao último poema ou ir direto àquele de que mais gostou. Aciona modos diversos de leitura. Aquele compartilhado pela palavra ledora de um adulto, ou pela leitura silenciosa de uma criança; aquela lida em coro, em dupla, em alternância de vozes, ou o modo cantado, memorizado, recitado como provavelmente premeditara o seu autor. Uma leitura reconhecimento de práticas quase em desuso. • Uma edição fac-similar como esta permite o (re)conhecimento de uma prática demorada de escrita, da letra cursiva, da construção dos traços e das formas, da disposição visual da página, ligados à tradição da cultura manuscrita, pelas habilidades e pela destreza das mãos, pelos materiais e técnicas que adotam aqueles que escrevem, da posição física e gestos particulares dos escreventes. Os poemas ganham formas próprias de um tempo em que a letra cursiva reinava quase absoluta, e que o assunto tratado eram as travessuras e estripulias de crianças e animais domésticos. Sem repreensões dos narradores líricos em decorrência do mau comportamento dos personagens. • Por tudo isso, apresentamos Versos para pequeninos, escrito há mais de cem anos, em uma edição fac-similar e impressa.

Afetividade - marcas de um professor inesquecível

Sérgio Antonio da Silva Leite (organizador)
Campinas - SP, Mercado de Letras, 2018
Resumo: Os textos - que compõem a obra - analisam os impactos afetivos pela mediação de professores e pais nas relações que se estabelecem com seus alunos e filhos e as práticas e conteúdos abordados. Os autores são jovens pesquisadores, orientados pelo organizador da obra, que participam do "Grupo do Afeto", parte integrante do ALLE/AULA, grupo de pesquisa da Faculdade de Educação, Unicamp.

O texto na sala de aula : Um clássico sobre o ensino de Língua Portuguesa

Lilian Lopes M. da Silva; Norma Sandra A. Ferreira; Maria do Rosário L. Mortatti
Campinas - SP, Autores Associados, 2014
Resumo: O livro reúne vinte professores e pesquisadores de diferentes instituições nacionais que vêm desenvolvendo trabalhos de caráter didático-pedagógico e acadêmico-científico, tendo por base a obra "O Texto na Sala de Aula", organizada por João Wanderley Geraldi e lançada em 1984. Uma forma de homenagear uma obra que desde sua primeira edição teve os professores como seus principais interlocutores e que ao longo de seus 30 anos de publicação tem impactado modos de pensar e de realizar o ensino da disciplina de Língua Portuguesa, no nosso país.

Leitura, escrita e alfabetização: a pluralidade das práticas

Ilsa do Carmo Vieira Goulart, Maria das Dores Soares Maziero, Silvia Aparecida Santos de Carvalho.
Campinas - SP, Edições Leitura Crítica, 2017
Resumo: Tomando como referência a centralidade das discussões sobre o trabalho docente e as práticas escolares, este livro assume por objetivo aproximar diferentes textos produzidos por pesquisadores de campos ligados à leitura, escrita e alfabetização, considerando a pluralidade e a complexidade desses campos Os artigos que compõem esta obra propõem uma reflexão temática e destacam alguns dos fatores que permeiam as práticas escolares no campo da leitura e da escrita, buscando analisar as implicações sociais, culturais e político- -pedagógicas que afetam a escola e todos que a ela estão ligados. As organizadoras, assim como os autores dos capítulos que integram o livro, são, em sua maioria, pesquisadores do grupo Alfabetização, Leitura e Escrita e Trabalho Docente na Formação Inicial - ALLE/AULA- FE/Unicamp. Disponível no link: http://www.nucleoestudo.ufla.br/nelle/publicacoes/

Políticas e Práticas de Alfabetização

Maria do Socorro Alencar Nunes Macedo
Recife, PE, EDUFPE, 2017
Resumo: Entre os 15 capítulos que compõem o livro, o leitor encontra um produção científica que problematiza questões atuais que envolvem o campo das políticas públicas e das práticas de alfabetização com crianças, jovens e adultos. Entre eles, o capítulo "Apropriação do código da escrita como instrumento de inclusão/exclusão: alguns recortes", da Profa. Dra. Heloísa Andrea de Matos Lins (Grupo de Pesquisa ALLE/AULA, FE-Unicamp)

A alfabetização como processo discursivo. : 30 anos de ‘A criança na fase inicial da escrita’.

Cecília M. A. Goulart; Cláudia M.Mendes Gontijo; Norma Sandra A. Ferreira
SP, Editora Pontes, 2017
Resumo: Este livro reúne dez textos que pretendem comemorar e ressignificar a obra inaugural “A criança na fase inicial da escrita”, de Ana Luiza Smolka, publicada em 1988. Os textos buscam destacar a relevância da obra de Smolka, por sua originalidade e vigorosa base teórica- metodológica, por sua relevante contribuição à área da alfabetização e do discurso. Livro que, em três décadas, se constitui em importante referência bibliográfica para a área de alfabetização, fundamentando pesquisas, propostas curriculares e práticas de professores ligadas a diferentes segmentos da escola básica.

UM ESTUDO SOBRE VERSOS PARA OS PEQUENINOS, MANUSCRITO DE JOÃO kÖPKE

Norma Sandra de Almeida Ferreira (FE/Unicamp)
Campinas, SP, Editora Mercado de Letras, 2017
Resumo: Originalmente pesquisa de livre docência, o livro apresenta aos leitores "Versos para os pequeninos", manuscrito inédito, escrito de próprio punho por João Köpke (1852-1926) e que faz parte do acervo pessoal da família Köpke. A autora destaca a singularidade dessa obra manuscrita como bastante distinta da produção impressa de João Köpke, produzida para atender à demanda do mercado editorial (nicho escolar), distinta em relação aos interesses e necessidades daquele mercado e da posição que ocupava esse autor naquele momento no cenário intelectual e educacional, no final do século XIX e início de XX.

Versos para os pequeninos, de João Köpke : edição fac-similar, on-line

Norma Sandra de Almeida Ferreira (FE/Unicamp)
São Paulo/Campinas - SP, Revista Fapesp/SP e Faculdade de Educação/Unicamp, 2017
Resumo: A edição fac-similar do manuscrito “Versos para os pequeninos”, de autoria de João Köpke, permite que tal obra chegue aos leitores depois de 120 anos, sob guarda da família Köpke. A publicação da obra foi produzida originalmente como parte da edição n. 253 (fevereiro de 2017) da revista Pesquisa FAPESP (www.revistapesquisa.fapesp.br). Está disponível também no link: http://revistapesquisa.fapesp. br/wp-content/uploads/2017/03/ kopcke-facsimile-1.pdf?f1fdf2

Afetividade e letramento na educação de jovens e adultos - EJA : leitores na contramão

Sérgio Antonio da Silva Leite (Org.)
SP, Cortez, 2013
Resumo: Este livro analisa o processo de mediação pedagógica na Educação de Jovens e Adultos (EJA), tomando-se como refe­rência os conceitos de Afetividade e Letramento. Assume- -se que o processo de Alfabetização deve ser direcionado para as práticas sociais de leitura e escrita, sendo que a relação professor-aluno é profundamente marcada pela questão da afetividade. A partir das bases teóricas cen­tradas nas ideias de Wallon e Vygotsky, apresentam- -se relatos de práticas pedagógicas de professoras bem-sucedidas na área, a partir de pesquisas realizadas pelo Grupo do Afeto do ALLE/FE/UNICAMP.

Leitores na contramão : Repensar o currículo na educação infantil: implicações sobre o brincar e a língua(gem) 

Heloísa Andreia de Matos Lins (Org.)
Campinas, SP, Edições Leitura Crítica, 2012
Resumo: As autoras apresentam questões referentes aos leitores e suas práticas, muitas vezes 'invisíveis' ,"esquecidos" e "excluídos"pela maioria da sociedade. O mercado editorial é também analisado, uma vez que a perspectiva teórica adotada é a historiográfica e,abrangendo aspectos socioculturais. (...) com intuito de evidenciar diferenças que muitas vezes se desdobram em desigualdades ou preconceitos nas/ para com as práticas de leitura consideradas à margem das formas tidas como 'exemplares' e canônicas.