Teses e Dissertações


LEITORES DE LOCADORA DE LIVROS

Dissertação
Autor: Paula Virginia de Almeida Rochetti
Orientador: Lilian Lopes Martin da Silva
Data da Defesa: 25/06/2012
Resumo: Percebemos indícios de locações de livros desde o século XVIII. Essa forma de acesso aos livros, tão legítima quanto a compra em livrarias ou o empréstimo em bibliotecas, está presente ainda hoje. Encontrar uma locadora de livros em Campinas, SP, possibilitou a nossa aproximação desse universo, das práticas presentes nesse espaço e dos leitores e das leituras que ali encontramos. Este trabalho procura apresentar a locadora de livros, sua forma de funcionamento e características comerciais; os leitores, suas principais características e a rede que formam; assim como suas leituras, preferências e modos de praticá-la. Os dados foram construídos a partir de informações colhidas através de observações, entrevistas, questionários e conversas com a proprietária. O trabalho se apoia em contribuições da pesquisa qualitativa em educação e na história cultural, com autores como Roger Chartier, Robert Darnton, Michael Certeau.

Palavras-chave: não especificado


DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM : ANÁLISE DE UMA PRÁTICA PEDAGÓGICA COM SUCESSO

Dissertação
Autor: Aline Martins Franco do Amaral
Orientador: Sérgio Antonio da Silva Leite
Data da Defesa: 23/02/2012
Resumo: A presente pesquisa tem por objetivo identificar, descrever e analisar práticas pedagógicas, desenvolvidas por uma professora, que contribuíram para o sucesso escolar de alunos que apresentavam dificuldades de aprendizagem. Segundo a perspectiva teórica adotada – abordagem histórico – cultural - o sujeito aprende através da mediação com o outro, mediação esta que precisa ser qualitativamente adequada; na sala de aula, o principal mediador é o professor. Portanto, pretende-se relacionar as contribuições deste trabalho pedagógico com a aprendizagem dos alunos considerados como portadores de dificuldades de aprendizagem. A metodologia deste estudo é de natureza qualitativa, com características etnográficas. A coleta de dados foi realizada em uma escola municipal pública de Valinhos e incluiu: sessões de observação em uma classe regular do 3º ano (2ª série) do Ensino Fundamental I no período matutino, com três crianças de 8 e 9 anos no ano letivo de 2010, entrevistas com a professora e seleção de amostras de escrita (ditados e produções de texto) dos alunos. Na sequência, os registros obtidos nas sessões de observação e as entrevistas com a professora foram transcritos e, posteriormente, utilizados na construção de Núcleos e Sub-Núcleos Temáticos, os quais se centraram na descrição das práticas pedagógicas da professora. Os registros escritos dos alunos integraram a descrição do progresso observado durante o ano, no desenvolvimento da escrita. Os dados permitem estabelecer relações entre as práticas pedagógicas da professora e as mudanças no desempenho escolar dos alunos ditos com dificuldades de aprendizagem.

Palavras-chave: não especificado


Histórias de envolvimento com a escrita de sujeitos que tiveram uma infância vulnerável

Dissertação
Autor: Maria Isabel Donnabella Orrico
Orientador: Sérgio Antonio da Silva Leite
Ano da Defesa: 2012
Resumo: Os dados desta pesquisa foram coletados a partir de entrevistas feitas com quatro sujeitos adultos, leitores e produtores de texto, que tiveram uma infância considerada vulnerável. O objetivo foi descrever e analisar as condições que possibilitaram a esses sujeitos obterem sucesso em seu processo de alfabetização e se envolverem com práticas sociais de leitura e escrita, fazendo uso dessas práticas, principalmente, em seu ambiente de trabalho. As verbalizações dos sujeitos foram transcritas e organizadas em núcleos temáticos, a partir dos quais foram reconstruídas as respectivas histórias de cada sujeito, com relação ao seu processo de constituição de leitor e/ou produtor de texto. Observou-se que todos os sujeitos relataram histórias muito significativas na área da leitura durante a infância. Essas mediações começaram a ocorrer antes mesmo de o indivíduo ser alfabetizado, e envolveram pessoas muito próximas e de grande valor afetivo para o sujeito. A maior parte desses mediadores está ligada à família ou à escola e em todos os casos aparecem a figura de – pelo menos – dois professores inesquecíveis. Os dados são analisados a partir da abordagem histórico-cultutal.

Palavras-chave: não especificado


A BIBLIOTECA CESAR BIERRENBACH : O CENTRO DE CIÊNCIAS, LETRAS E ARTES E A UTOPIA DO CONHECIMENTO

Dissertação
Autor: Sônia Midori Takamatsu
Orientador: Lilian Lopes Martin da Silva
Ano da Defesa: 2011
Resumo: Este dissertação é resultado da pesquisa desenvolvida no programa de Mestrado da Faculdade de Educação, Unicamp, no grupo de pesquisa ALLE e visa investigar o percurso de formação da Biblioteca Cesar Bierrenbach que pertence ao Centro de Ciências, Letras e Artes de Campinas (C.C.L.A), instituição fundada em 1901. O Centro de Ciências, Letras e Artes de Campinas surgiu como um espaço de continuidade do projeto de modernização do município, tornando-se uma referência para o debate científico e cultural da época. O percurso de formação da Biblioteca Cesar Bierrenbach, sobretudo de seu acervo inicial, é uma forma de preservação da memória histórica e de um patrimônio através do qual se pode perceber o lugar e a presença do livro e impressos, da leitura, do leitor e do protocolo intelectual na vida da cidade. A pesquisa privilegia fontes documentais disponíveis no acervo da própria Biblioteca como bibliografia sobre Campinas, almanaques, monografias históricas e, principalmente, as Revistas do Centro de Ciências, Letras e Artes, cuja primeira edição é de 1902. Através das investigações dessas fontes pretende-se fazer um mapeamento das doações de obras à Biblioteca, o que parece indicado para a percepção da constituição do acervo inicial. 

Palavras-chave: não especificado


ALFABETIZAÇÃO : O ESTADO DA ARTE EM PERIÓDICOS CIENTÍFICOS (1987-2008)

Dissertação
Autor: Alina do Rocio Pacheco e Silva Ribeiro
Orientador: Sérgio Antonio da Silva Leite
Ano da Defesa: 2011
Resumo: É apresentada aqui uma pesquisa sobre o estado da arte em alfabetização. Somente artigos que trataram da alfabetização de crianças em idade escolar, foram inclusos. Todos os artigos analisados foram publicados no período de 1987 a 2008 em periódicos científicos classificados como A1, no Qualis. Este agrupamento de informações torna-se ainda necessário devido à grande quantidade de informações processadas e emitidas, sobre o assunto, por diversos pesquisadores em diferentes lugares do mundo. Devido à imensa quantidade de artigos, a base teórica pautou-se, em primeiro lugar, nos estudos realizados sobre Survey – tipo de pesquisa que consegue agrupar uma grande quantidade de dados – para, a partir de então, com a análise desses chegar, ao Estado da Arte em questão. A união desses dois tipos de pesquisa contribui para que se saiba exatamente o que, como, onde e porque as informações sobre o assunto analisado estão sendo realizadas. Além disso, permite que se saiba em que direção, caminha a área e os pesquisadores que a ela se dedicam. Para que essa pesquisa fosse possível, delimitou-se um conjunto de palavras-chave. Foi identificada a existência das palavras-chave selecionadas, nos sumários dos periódicos. Alguns títulos observados indicaram palavras-chave novas, que foram agregadas ao conjunto. Após observar os títulos dos artigos, nos sumários dos periódicos, e identificar artigos de interesse para a pesquisa, devido constar nele a palavra-chave, o resumo era lido. Muitas vezes os resumos se apresentaram muito sucintos. Devido a isso, partes do texto, ou até mesmo o texto na íntegra, foram lidos para se ter certeza do conteúdo que trazia. Assim, todos os artigos que fariam parte dessa pesquisa foram identificados. Após esse longo percurso, pode ser concluído que existe um interesse comum, entre os pesquisadores, por uma face brasileira da alfabetização escolar. Assim, a maioria dos testes aplicados em leitura e escrita, por serem pautados na fonética de outros idiomas, foram questionados por fornecerem o que foi identificado como “um falso resultado” quando aplicado aos alunos do nosso país. Foi identificada a necessidade de que testes, pautados no nosso idioma, sejam construídos. A busca em conhecer quem é, como pensa e como se desenvolve o alfabetizando brasileiro é um ponto em comum entre os pesquisadores fazendo com que se consiga perceber a construção de um perfil para a alfabetização pautado no nosso idioma em diferentes áreas de estudo.

Palavras-chave: não especificado


ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

Dissertação
Autor: Flávia Regina de Barros
Orientador: Sérgio Antonio da Silva Leite
Ano da Defesa: 2011
Resumo: A presente pesquisa tem como objetivo descrever e analisar as práticas pedagógicas de uma professora atuante na Educação de Jovens e Adultos (EJA) e verificar seus impactos nas práticas de letramento dos seus alunos. Foi realizada com alunos da Educação de Jovens e Adultos do município de Amparo/SP. As bases teóricas utilizadas fixam-se nos estudos sobre o letramento e na abordagem histórico-cultural. A metodologia de pesquisa adotada é qualitativa, com características etnográficas. A coleta de dados deu-se através da realização de entrevistas com os alunos em diversos momentos do processo e de visitas constantes à sala de aula, quando foram realizadas observações das práticas pedagógicas e registros das mesmas em diário de campo. A análise e a discussão dos dados estão baseadas na abordagem teórica assumida. Os resultados, produtos da análise das respostas emitidas pelos sujeitos nas entrevistas, mostram uma ampliação das práticas de leitura e escrita realizadas pelos sujeitos, que podem ser relacionadas com as práticas pedagógicas vivenciadas. A pertinência desta pesquisa firma-se na relevância social do tema, buscando um aprofundamento teórico sobre os conceitos de alfabetização e letramento, assim como, a educação de jovens e adultos. Além disso, poderá contribuir para que os educadores de jovens e adultos possam enriquecer sua prática e explorar alternativas pedagógicas centradas nos usos sociais da escrita. 

Palavras-chave: não especificado


IMPACTOS DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS CENTRADAS NO LETRAMENTO EM CRIANÇAS PRÉ-ESCOLARES CENTRADAS NO LETRAMENTO EM CRIANÇAS PRÉ-ESCOLARES

Dissertação
Autor: Beatriz Gracioli Andrade
Orientador: Sérgio Antonio da Silva Leite
Ano da Defesa: 2011
De acordo com o modelo tradicional de alfabetização, a escrita é compreendida como um código de transcrição da fala, e as atividades pedagógicas visam exclusivamente o domínio deste código. Entretanto, segundo a perspectiva de letramento, não basta apenas saber ler e escrever, ou seja, decodificar o sistema da escrita; é preciso também saber fazer uso do mesmo, de acordo com as próprias necessidades e com as demandas da sociedade. Neste sentido, cabe à educação infantil possibilitar às crianças a participação no mundo da escrita, envolvendo-as em práticas sociais de leitura e escrita. Assim, a presente pesquisa teve como objetivo descrever e analisar as práticas pedagógicas de letramento realizadas por uma professora de educação infantil e identificar os possíveis impactos dessas práticas na relação dos alunos com a escrita, fora do ambiente escolar. A metodologia deste estudo é de natureza qualitativa, com características etnográficas. A coleta de dados foi realizada em uma escola particular de Campinas, e incluiu observações participantes em uma classe de educação infantil, com crianças de 4 a 5 anos. Envolveu as observações da pesquisadora, registradas em um diário de campo, e entrevistas com a professora da classe e com os pais dos alunos. A análise dos dados foi realizada de acordo com estudos sobre alfabetização e letramento e com o referencial histórico-cultural. Baseando-se nos dados analisados, concluímos que esta escola, como instituição historicamente legitimada para o ensino da linguagem escrita, desempenhou um papel fundamental na formação de leitores e produtores de textos. A qualidade da mediação do professor foi essencial para garantir a aprendizagem e o desenvolvimento dos alunos com relação à escrita, além da aproximação afetiva dos mesmos com esse objeto de conhecimento.

Palavras-chave: letramento, alfabetização, perspectiva histórico-cultural, mediação, educação infantil


Livro infantil no Brasil (2007-2008) : marcas em circulação, impressos de divulgação e infâncias anunciadas,

Dissertação
Autor: Juliana Bernardes Tozzi
Orientador: Lilian Lopes Martin da Silva
Ano da Defesa: 2011
Resumo: O trabalho focaliza as marcas de editoras e a divulgação dos livros infantis no Brasil contemporâneo. Ocupa-se em traçar um mapeamento sobre os agentes editoriais ativos nesta produção, entre 2007 e 2008, e investigar os ideários e as representações de infância que os catálogos impressos de divulgação destas empresas editoriais, as principais fontes da pesquisa da investigação realizada, colocam em circulação. Para isto, a pesquisa observa e discute as estratégias que as editoras incorporam e/ou inventam para garantir seu reconhecimento e distinção neste campo de comércio de bens simbólicos para a infância e identifica como a leitura dos dispositivos encontrados nos catálogos de divulgação pode informar sobre os imaginários que definem e atualizam infâncias, seus públicos e objetos, e a concorrência de produtos. O trabalho tem sua problematização e procedimento metodológico-analítico fundamentados em contribuições trazidas pela Sociologia da Cultura (com Norbert Elias e Pierre Bourdieu), explorando as noções de campo e da teoria da ação social; pela História Cultural (com Roger Chartier e Robert Darnton) e as ideias de mediação editorial e ciclo de vida dos livros; e pela Teoria da Enunciação (de Mikhail Bakhtin), com sua inspiração para a discussão discursiva dos materiais de linguagem.

Palavras-chave: não especificado


ORLANDO FURIOSO DE LOBATO: UMA OBRA INCONCLUSA

Dissertação
Autor: André Aparecido Garcia
Orientador: Norma Sandra de Almeida Ferreira
Data da Defesa: 06/09/2010
Resumo: O trabalho que aqui se apresenta tem como objetivo principal ou intenção primeira apresentar a obra Orlando Furioso de Xavier da Cunha, editada pela Companhia Editora Nacional de Lisboa no ano de 1895, arquivada no Centro de Documentação Alexandre Eulálio (CEDAE)/Unicamp, buscando compreender não só a trajetória desta edição, como também os aspectos tipográficos e textuais que a configuram. Ainda tem como objetivo investigar os vestígios deixados por Monteiro Lobato, de forma manuscrita, nesta edição de Orlando Furioso, colocando como questões: quais são as intervenções editoriais e textuais que Lobato lança mão com um possível desejo de publicá-la com um livro clássico infantil? Que representação de leitor infantil parece orientar tais intervenções? Que representação do gosto de leitor infantil parece orientar a visão de Lobato como editor nessas intervenções. Essa pesquisa se enquadra no conjunto de trabalhos do grupo de pesquisa Alfabetização, Leitura e Escrita (ALLE) no que diz respeito à investigação dos procedimentos postos e praticados pelo pólo da produção, tendo em vista a representação que autores e editores constroem a respeito do público, a qual se destina as obras publicadas, na perspectiva metodológica fornecida pela História Cultural.

Palavras-chave: não especificado


ENCENAÇÕES DA LEITURA NA LITERATURA INFANTIL

Tese
Autor: Marcela Roberta Ferraro Ferreira
Orientador: Norma Sandra de Almeida Ferreira
Ano da Defesa: 2010
Resumo: Dialogando com as questões levantadas pela História Cultural, o presente trabalho analisa as representações de leitura construídas pela Literatura Infantil. Ao olhar para essas imagens do leitor ficcional, é possível perceber como a idealização desse leitor vai divulgando modelos de comportamento legitimados para o público infantil. Cabe, portanto, analisar os implícitos da representação e investigar os protocolos ou dispositivos discursivos que procuram conduzir práticas de leitura. Sendo assim, sobressaem as seguintes indagações: Quem é esse leitor apresentado pela Literatura Infantil? Quais práticas são retratadas/construídas por essa literatura? Quais práticas legitima? Quais práticas divulga para formar o leitor? Ao reconhecer as representações mais recorrentes nessa literatura, este trabalho questiona as ausências e os silenciamentos em torno de leitores que o gênero não acolhe e de práticas não incluídas. Seguimos com a hipótese de que a construção literária do leitor, ao se apresentar como semelhante dos sujeitos reais, projeta os caminhos da história da leitura das crianças, sendo que as representações chamam à identificação, ao enquadramento e sugerem certas adequações através de dispositivos que visam regular seus usos e gestos. Atentar para esses aspectos nos possibilita perceber o caráter disciplinante dos textos para promover uma recepção mais consciente e mais cautelosa, de modo que possamos identificar as estratégias textuais que procuram nos controlar, impondo atitudes ditadas como adequadas e convencionais. A forma considerada aqui como a mais apropriada para abordar essas imagens consiste em não perder de vista o fato de serem representações literárias do leitor, em não deixar que se perca essa identidade artística, estética, formal, que compõe o contexto em que se abriga e se constrói o leitor. As análises apontam para a disseminação de um imaginário onde desponta a exaltação do leitor infantil, como forma de conquistá-lo, de discipliná-lo e de promover a consolidação do gênero.

Palavras-chave: não especificado